Tudo sobre a introdução alimentar do bebê



O leite materno é o primeiro e único alimento do bebê durante os primeiros meses de vida. Ele é fundamental para o desenvolvimento da criança, bem como para a imunidade, protegendo contra infecções, alergias e várias outras doenças, como obesidade e diabetes.

Contudo, chega um momento em que tudo muda. O aleitamento continua sendo importante (podendo se estender até os 2 anos), mas agora o bebê precisa ser apresentado a outros alimentos. Essa é a famosa introdução alimentar.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que, a partir dos 6 meses, as crianças sejam introduzidas a uma nova alimentação. Isso porque, nessa fase, elas começam a precisar de nutrientes que o leite materno, sozinho, não é capaz de oferecer.

Pensando nisso, trouxemos este post com tudo o que você precisa saber sobre a introdução alimentar. Confira!

Métodos para iniciar a introdução alimentar

Sabia que existem alguns métodos que ajudam na introdução alimentar do bebê? Conheça mais acerca deles, a seguir:

  • Papinha: certamente, o artifício de introdução alimentar mais conhecido. Basicamente, você escolhe o alimento que vai oferecer ao bebê e amassa com um garfo ou bate no liquidificador;
  • BLW: essa é a sigla para baby-led weaning que, em tradução livre, significa o desmame liderado pelo bebê. Ou seja, você oferece pedaços dos alimentos ao bebê e permite que ele se alimente sozinho, de acordo com a sua fome e curiosidade;
  • Pê-efinho: bem como o PF (prato feito) dos adultos, nesse método você monta uma versão semelhante para o bebê. É claro que, neste caso, são cortadinhos em pequenos pedaços ou amassados. A ideia aqui é que a criança consiga sentir o sabor e textura dos alimentos, até mesmo para que você entenda as preferências do bebê.

Dicas sobre a introdução

Para que a introdução alimentar do bebê seja um sucesso, é preciso oferecer os alimentos da maneira correta. Por isso, trouxemos algumas recomendações que você pode seguir para facilitar o processo:
ofereça alimentos variados: o bebê precisa conhecer sabores e texturas diferentes;

  • dê o exemplo: as crianças tendem a reproduzir as ações dos pais, então, reúna a família e se alimentem (adequadamente) todos juntos à mesa;
  • não force a barra: se nós, adultos, não gostamos de nada forçado, você acha que um bebê que está conhecendo os alimentos vai gostar? Portanto, não force, pois isso vai acabar fazendo a criança criar um sentimento negativo por aquela comida;
  • não ofereça açúcar: nessa fase, o único doce que o bebê precisa conhecer é o das frutas.

Alimentos que podem ser oferecidos

A ideia da introdução alimentar aos 6 meses é apresentar ao bebê alimentos como frutas, legumes, vegetais, cereais, carnes e ovos. Ou seja, arroz, feijão, macarrão e peixes também podem ser introduzidos na alimentação dos pequenos.

O processo de introdução alimentar do bebê não é tarefa simples. Exige paciência, dedicação e muito amor para que a criança consiga atravessar essa fase de uma maneira tranquila e para que o resultado tenha a máxima eficácia.

Entretanto, antes de começar a introdução, é fundamental levar o seu bebê a um nutricionista infantil, para que ele dê as instruções adequadas e acompanhe toda a jornada da criança durante esse período.

Gostou deste post? Compartilhe e ajude outras pessoas a conhecerem mais sobre a introdução alimentar dos bebês!

 

Deixe um Comentário

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support